Mensagem

Carrinho
Carrinho vazio

Mix de Prebióticos com Glutamina em sachê

Por: 4x R$ 36,98

Total: R$ 147,90
Ou R$ 143,46 no pix

Sachê:

Prebióticos são fibras que servem de alimento para bactérias boas que habitam nossos intestinos. O mix de prebióticos da Sempre Viva conta com 3 fibras prebióticas aliadas à glutamina, um aminoácido que é utilizado como energia pelos enterócitos (mucosa intestinal).

  • Descrição
  • Modo de usar
  • Composição
  • Referências
  • Advertências

Tecnicamente a definição atual de prebiótico é “um substrato que é seletivamente utilizado por microrganismos hospedeiros que conferem um benefício para a saúde” - Revista Nature Gastroenterology & Hepatology (2014).

Em nosso corpo, as fibras prebióticas são fermentadas por certas bactérias do cólon que auxiliam o crescimento de bifidobactérias, estimulando as atividades metabólicas destas bactérias.

E os prebióticos conferem uma série de benefícios para nossa saúde.

Benefícios do Mix de Probióticos:

• Promove o metabolismo saudável e a função gastrointestinal;
• Estimula o crescimento de bactérias saudáveis;
• Diminui as bactérias patogênicas no intestino;
• Aumenta a absorção de minerais.

Os efeitos a saúde dos prebióticos estão evoluindo, e incluem benefícios para:
Trato gastrointestinal (inibição de patógenos, estimulação imunológica);
Cardiometabolismo (redução dos níveis lipídicos no sangue, efeitos sobre a resistência);
Saúde mental (metabólitos que influenciam a função cerebral, energia e cognição) e;
Saúde óssea ( biodisponibilidade mineral), entre outros.

Aliamos ao mix de prebióticos uma pequena dosagem de glutamina, que funciona como principal fonte de energia dos enterócitos - as células da mucosa intestinal. A glutamina é um aminoácido condicionalmente essencial, sendo importante na síntese proteica e modulação da resposta imune, ajudando na recuperação do glicogênio muscular e tem ação anticatabólica (evita perda muscular).

Por que nós precisamos de prebióticos?

Os prebióticos são importantes para a sua saúde, embora sejam necessárias mais pesquisas para compreender todas as maneiras pelas quais eles podem ajudar o seu corpo. Os prebióticos ocorrem naturalmente em alguns alimentos ricos em fibras, mas às vezes são adicionados aos alimentos. Eles também estão disponíveis como suplemento dietético, como este mix de prebióticos.

Não existe uma diretriz oficial recomendada sobre quanto comer por dia. Estudos sugerem que comer 3 a 5 gramas de prebióticos por dia pode beneficiar a saúde do seu intestino. Comer a quantidade recomendada de fibra alimentar provavelmente garantirá que você receba o suficiente.


Fibras Alimentares


Podemos dividir as fibras em dois tipos, as fermentáveis e as não-fermentáveis.


Fermentáveis


São prebióticas e beneficiam a saúde através da fermentação de bactérias no trato gastro-intestinal.


Não Fermentáveis


Aumentam bolo fecal e diminuem o tempo de trânsito intestinal.


Atenção: nem toda fibra é prebiótica


Nem todas as fibras alimentares são qualificadas como prebióticos. Os prebióticos estabelecidos incluem inulina, frutooligossacarídeos (FOS) e galactooligossacarídeos (GOS). Incorporar prebióticos em sua dieta diária pode ajudar a promover bactérias úteis em seu intestino, estimular seu sistema imunológico e manter um sistema digestivo saudável.

Alimentos altos em FODMAPs

FODMAPs é uma sigla que significa carboidratos Fermentáveis, dentre os quais:
Oligossacarídeos;
Dissacarídeos;
Monossacarídeos e;
Polióis.

Apesar de serem fibras fermentáveis e então serem alimentos para nossa microbiota. Pesoas com disbiose (desequilíbrio na microbiota) ou SII (Síndrome do Intestino Irritável) podem não sentir-se bem consumindo alimentos ricos em FODMAPs.

Alimentos ricos em FODMAPs incluem os provenientes de trigo (como pão, macarrão e biscoitos), várias frutas, como maçã, manga, melancia e peras; outras frutas como por exemplo abacate e banana dependem da quantidade consumida.

Este mix de prebióticos não é baixo em FODMAP!

Nossa sugestão para prebiótico baixo em FODMAP é goma acácia purificada - Fibregum.

Componentes do Mix de Prebióticos


FOS (fructooligossacarídeos)


FOS são carboidratos presentes naturalmente em alimentos que não são digeridos pelas enzimas humanas, porém, são rapidamente fermentados pelas bifidobactérias presentes na flora intestinal.

São encontrados em alimentos como tomates, maçãs, mel, alho e cebola. Além disso, a alcachofra é uma fonte rica em inulina, que pode ser quebrada para formar FOS.


Inulina


A inulina é carboidrato, um tipo de sacarídeo pertencente à classe das frutanas, originária da raiz da chicória e presente em diversos alimentos, como alcachofra, aspargo, alho-poró, cebola, alho, trigo e yacon.

Muitos diabéticos a utilizam, pois, embora seja considerada um tipo de açúcar, sua glicose não é totalmente absorvida pelo organismo, não afetando os níveis de glicemia. Quando degradada, a inulina se transforma em FOS (frutooligossacarídeos). Ao contrário de outros nutrientes dessa classe, a inulina é resistente à acidez gástrica e à hidrólise pelas enzimas.


XOS (Xilooligosacarídeos) - Olix 95%


Os xilooligossacarídeos são um tipo de ingrediente prebiótico que promove o crescimento seletivo das bactérias saprófitas e crescimento da crescimento de Bifidobacterium na microbiota intestinal. São considerados açúcares não convencionais, não calóricos e não metabolizados pelo organismo humano. Esses compostos são obtidos por meio da hidrólise enzimática do xilano presente na espiga de milho.


OLIX 95 auxilia nas seguintes atividades do organismo:


Olix 95


Glutamina


A glutamina é um aminoácido importante com muitas funções no corpo, portanto não é uma fibra prebiótica.

Aminoácidos são blocos de construção de proteínas e uma parte crítica do sistema imunológico.

Nosso corpo produz naturalmente esse aminoácido e ele também é encontrado em muitos alimentos. No entanto, podemos necessitar de suplementação de glutamina para uma saúde ideal.

Além disso, a glutamina desempenha um papel especial na saúde intestinal, sendo energia para os enterócitos, células que compõem a mucosa intestinal. Essa mucosa é a barreira entre nosso sistema digestivo e a corrente sanguínea, quando está inflamada ocorre o que chamamos de leak gut (barreira intestinal vazada).

Há uma forte hipótese que o leak gut é a causa de muitas doenças autoimunes.

Uso de prebióticos no tratamento de doenças autoimunes

Doenças autoimunes são condições nas quais o sistema imunológico do corpo ataca erroneamente seus próprios tecidos saudáveis, considerando-os como invasores estranhos.

Normalmente, o sistema imunológico é projetado para defender o corpo contra substâncias nocivas, como bactérias e vírus, porém, nas doenças autoimunes, ele falha nessa distinção e ataca células, tecidos e órgãos saudáveis.

Existem mais de 80 tipos diferentes de doenças autoimunes, e elas podem afetar praticamente qualquer parte do corpo. Alguns exemplos comuns incluem: artrite reumatoide, diabetes tipo 1, lúpus e Tireoidite de Hashimoto.


Tratamento de Doenças Autoimunes

Slide aula Doenças Autoimunes - pós-graduação ministrada por Dr. Lair Ribeiro

Uma das principais estratégias sustentáveis para o tratamento das doenças autoimunes é tratar o intestino e fazer escolhas alimentares inteligentes.

Com isso é possível silenciar a doença (a tão esperada remissão) ou quem sabe diminuir as dosagens dos medicamentos imunossupressores, anti-inflamatórios e terapias biológicas, dependendo da doença específica e da gravidade dos sintomas; que trazem inúmeros efeitos colaterais.

Dica da farmacêutica

Os compostos fenólicos de vegetais, como o resveratrol, quercetina, antocianina, podem atender ao novo conceito de prebióticos agora. Dentro desta linha destacamos o MicrobiomeX - um flavonoide prebiótico com capacidade de desinflamar o intestino e aumentar a produção de AGCC (butirato).

Você vai se beneficiar em fazer uso deste mix de prebióticos com os probióticos que são as bactérias boas que vão atuar no sistema gastrointestinal, destaco o Mix de Probióticos - Emagrecer e Permanecer Magro e o Pool de Lactobacilos.

Posologia:

Tomar uma vez ao dia, após refeição.

Composição:

FOS 2 g
Inulina 2g
XOS (como Olix 95) 2g
Glutamina 1g
Em sachês.

Referências:

Hill, C., Guarner, F., Reid, G., Gibson, G. R., Merenstein, D. J., Pot, B., Morelli, L., Canani, R. B., Flint, H. J., Salminen, S., Calder, P. C., & Sanders, M. E. (2014). Expert consensus document. The International Scientific Association for Probiotics and Prebiotics consensus statement on the scope and appropriate use of the term probiotic. Nature reviews. Gastroenterology & hepatology, 11(8), 506–514. https://doi.org/10.1038/nrgastro.2014.66

Búrigo, T., Fagundes, R. L. M., Trindade, E. B. S. de M., & Vasconcelos, H. C. F. F.. (2007). Efeito bifidogênico do frutooligossacarídeo na microbiota intestinal de pacientes com neoplasia hematológica. Revista De Nutrição, 20(5), 491–497. https://doi.org/10.1590/S1415-52732007000500005

Qin, Y. Q., Wang, L. Y., Yang, X. Y., Xu, Y. J., Fan, G., Fan, Y. G., Ren, J. N., An, Q., & Li, X. (2023). Inulin: properties and health benefits. Food & function, 14(7), 2948–2968. https://doi.org/10.1039/d2fo01096h

Yang, J., Summanen, P. H., Henning, S. M., Hsu, M., Lam, H., Huang, J., Tseng, C. H., Dowd, S. E., Finegold, S. M., Heber, D., & Li, Z. (2015). Xylooligosaccharide supplementation alters gut bacteria in both healthy and prediabetic adults: a pilot study. Frontiers in physiology, 6, 216. https://doi.org/10.3389/fphys.2015.00216

Finegold, S. M., Li, Z., Summanen, P. H., Downes, J., Thames, G., Corbett, K., Dowd, S., Krak, M., & Heber, D. (2014). Xylooligosaccharide increases bifidobacteria but not lactobacilli in human gut microbiota. Food & function, 5(3), 436–445. https://doi.org/10.1039/c3fo60348b

Wang, B., Wu, G., Zhou, Z., Dai, Z., Sun, Y., Ji, Y., Li, W., Wang, W., Liu, C., Han, F., & Wu, Z. (2015). Glutamine and intestinal barrier function. Amino acids, 47(10), 2143–2154. https://doi.org/10.1007/s00726-014-1773-4

Advertências:

1. Nunca compre medicamentos sem orientação de um profissional habilitado.
2. Imagens meramente ilustrativas.
3. Pessoas com hipersensibilidade à(às) substância(s) não devem ingerir o produto.
4. Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico.
5. Não use o medicamento com o prazo de validade vencido.
6. Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.
6.1. Manter em geladeira caso esteja indicado no rótulo.
7. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
8. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.
9. Este medicamento não deve ser utilizado durante o período de amamentação sem orientação médica.
10. Medicamentos em cápsulas não podem ser partidos ou mastigados.
11. Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hipoglicêmicos sem orientação médica.
12. Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hipertensos sem orientação médica.
13. "SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, UM MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO".

Venda mediante prescrição do profissional habilitado.
"Não se trata de propaganda e sim descrição do produto, consulte sempre um especialista".
* A Farmácia Sempre Viva é uma farmácia de manipulação, logo, os produtos anunciados neste site serão produzidos sob encomenda e serão postados na transportadora em até 5 dias úteis após a confirmação do pagamento.
"O estabelecimento farmacêutico deve assegurar ao usuário o direito à informação e orientação quanto ao uso dos medicamentos solicitados por acesso remoto" RDC 44 de 17 de agosto de 2009, Artigo 58.


Caso tenha alguma dúvida, converse com a farmacêutica!