Silanox 150mg Detox do Alumínio, Fortalecimento Ósseo e Tratamento para Osteoporose

Silanox 150mg Detox do Alumínio, Fortalecimento Ósseo e Tratamento para Osteoporose

CÓDIGO: 510

Será que você precisa se preocupar com o acúmulo de alumínio no seu corpo? Para Dr. Christopher Exley, PhD, da Keele University (Inglaterra), a resposta é SIM. Segundo ele, há uma forte ligação entre a exposição humana ao alumínio e a doenças neurodegenerativas como o Alzheimer. Dr Exley estuda o impacto do alumínio no corpo humano desde 1984.

Disponível: Em estoque

R$77,50
ou 1x de R$77,50 sem juros
Frete e Prazo de Entrega:

*Campos Obrigatórios

Descrição

Detalhes

O Silanox é justamente indicado para melhorar a capacidade do organismo de se livrar do alumínio (detox do alumínio) e outros metais pesados, além de melhorar a saúde da pele, cabelos, unhas e ossos.

O Silanox® é um produto moderno, desenvolvido pela Universidade de Barcelona (Espanha), que une monometilsilanetriol (MMST) e goma acácia, através de um processo patenteado. Estudos comprovaram que a suplementação com Silanox melhora a detoxificação de metais pesados, como o alumínio. Estudos sugerem que o acúmulo de metais pesados no corpo podem atuar com disruptores endócrinos, interferindo no correto funcionamento dos hormônios, além de potencialmente causarem doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e prejudicarem a manutenção da saúde óssea.

O Silanox é um produto diferenciado, sendo composto por monometilsilanetriol (MMST), que é a forma mais biodisponível de silício orgânico existente. Isso quer dizer que o corpo humano é capaz de absorver maiores quantidades de silício orgânico que são importantes para a saúde do cabelo, pele, unhas e densidade óssea - já que o silício reduz os sinais do envelhecimento e estimula naturalmente a produção de colágeno.

Indicações do Silanox® - Detox do Alumínio e Fortalecimento Ósseo:

Detox do alumínio;
• Potencialmente ajuda melhora a detoxificação de outros metais pesados, com redução de mercúrio e chumbo;
Melhora a mineralização (formação) óssea - para manutenção da saúde óssea é essencial reduzir os níveis de alumínio, pois este metal pesado implica negativamente no metabolismo do cálcio;
• Coadjuvante no tratamento da Osteoporose;
• Excelente ativador do colágeno, melhorando o aspecto e saúde da pele, cabelos e unhas;
• Melhora na conversão da Vitamina D - o acúmulo de alumínio está relacionado com a inibição da enzima que converte a vitamina D para a sua forma ativa.

Acúmulo do Alumínio no corpo humano

O alumínio (Al) é um dos metais mais abundantes, constituindo 8% da crosta terrestre - logo a exposição humana é inevitável. O Al está presente nos alimentos que comemos, na água que bebemos e no ar que respiramos.

A função gastrointestinal normal mantém a absorção mínima de alumínio para posterior deposição na corrente sanguínea (menos de 1% do alumínio ingerido é absorvido), e rins saudáveis ​​ajudam nossos corpos a remover o alumínio que tenha sido absorvido pela corrente sanguínea.

O acúmulo de altos níveis de alumínio no corpo pode afetar negativamente os ossos, o cérebro e outros órgãos. No entanto, o alumínio se acumula principalmente no osso, e sua toxicidade geralmente aparece primeiro no osso. Altos níveis de alumínio no osso reduz a densidade óssea e pode levar a fraturas ósseas - e pode acarretar diversas doenças ósseas, como: osteodistrofia renal, osteomalácia e osteoporose.

Há estudos também que relacionam a intoxicação por alumínio aos efeitos neurotóxicos, como o desenvolvimento de patologias como transtornos do espectro do autismo, Alzheimer, doença de Parkinson e outras doenças neurodegenerativas (OMS, 2010).

Fique atento às altas dosagens de alumínio ou grupos de maior exposição ao Al:

• Pacientes que recebem nutrição parenteral correm o risco de adquirir uma quantidade significativa de alumínio em seus tecidos;
• Pacientes com insuficiência renal são menos capazes de excretar alumínio e podem estar em risco de acúmulo de alumínio;
• Muitas vacinas contêm alumínio como adjuvante e podem fornecer uma dose alta de alumínio diretamente na corrente sanguínea (Lyons-Weiler et. al, 2020) - esta observação não tem caráter anti-vacina.

A melhor estratégia é evitar a contaminação do alumínio:

• Se cozinhar em panelas de alumínio não guarde os alimentos nas mesmas durante muito tempo. Se possível faça uso de panelas de outros materiais como aço cirúrgico e panelas de pedra ou cerâmica;
• Outra fonte de contaminação são os desodorantes antitranspirantes que possuem cloridróxido de alumínio. Portanto prefira desodorantes naturais livres de alumínio, como o Desodorante Natural da Farmácia Sempre Viva, com óleos essenciais e prata coloidal.

Mesmo tomando Puran (T4) ainda se sente cansada(o)?

Detox de alumínio e metais pesados: melhora da saúde da tireóide - tratamento além do Puran (T4)

O funcionamento da tireóide também é muito afetado por intoxicação por metais pesados (alumínio, chumbo, mercúrio, arsênico, cádmio), pelo glúten, soja, além dos glicosinolatos e isotiocianatos das brássicas, os quais podem impedir o uso do iodo pela glândula, principalmente se este mineral estiver sendo consumido em baixas quantidades.

Saúde da Tireóide

O hipotireoidismo pode se desenvolver em qualquer fase da vida trazendo consigo sintomas como cansaço, intolerância ao frio, pele seca, áspera ou fria, prisão de ventre, sonolência, apatia, aumento de peso e rouquidão na voz. O diagnóstico definitivo vem com a análise periódica dos níveis sanguíneos dos hormônios T3, T4 e TSH - feito por um médico.

Muitos médicos prescrevem a reposição do hormônio T4 (nome comercial Puran), entretanto não se atentam à importância da desintoxicação por metais pesados.

O Silanox® pode ajudar pacientes com diagnóstico de hipotireoidismo subclínico e queixas de cansaço e queda de cabelo.

Alguns sintomas clínicos podem surgir nos casos de intoxicação por alumínio, o cansaço é um deles. É sugerido que o mecanismo que possa levar ao surgimento da fadiga e do cansaço é o fato de que a presença de alumínio leva ao aumento do estresse oxidativo e a secreção de citocinas pró-inflamatórias.

Portanto é importante investigar se pacientes com hipotireoidismo estão intoxicados com alumínio. Em um relato de caso uma paciente de 38 anos com hipotireoidismo e queixas de cansaço estava com taxa de alumínio acima dos valores de referência de normalidade, pois o resultado obtido na avaliação de agosto de 2020 foi 13,1 mcg/L e o valor de referência é 10,0 mcg/L.

Diagnóstico de Hipotireoidismo

Após 45 dias de tratamento com SilanoX®, foi observada uma redução de 77% dos níveis séricos de alumínio. A repetição do exame foi realizada em novembro de 2020 e o resultado obtido foi de 3,0 mcg/L. Este resultado corrobora com resultados previamente descritos para SilanoX® como uma opção efetiva para redução dos níveis de alumínio.

Resultado tratamento com Silanox

Ao final do tratamento, a paciente relata melhora do cansaço e resultados laboratoriais também demonstram queda nos níveis de TSH sem outra intervenção clínica, revertendo então o quadro de hipotireoidismo subclínico. O resultado do exame realizado em novembro de 2020 foi de 2,60 UI/mL.

Síntese da vitamina D - sua vitamina D não aumenta mesmo com suplementação e exposição ao sol?

A vitamina D é um nutriente que seu corpo precisa para construir e manter os ossos saudáveis. Isso porque seu corpo só pode absorver cálcio, o principal componente do osso, quando a vitamina D está presente.

A vitamina D também regula muitas outras funções celulares em seu corpo. Suas propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e neuroprotetoras apoiam a saúde imunológica, a função muscular e a atividade das células cerebrais.

O acúmulo de alumínio no corpo está relacionado com a inibição da enzima que converte a vitamina D para sua forma ativa.

O alumínio também é absorvido pelas glândulas paratireóide, prejudicando a secreção do hormônio paratireóide (PTH) que é responsável pela regulação da homeostase do cálcio e fósforo. Como resultado, pode haver quadros de hipoparatireoidismo funcional e consequente hipercalciúria.

Uma importante consequência do acúmulo de alumínio no osso e na paratireoide é a inibição da enzima renal D-25-hidroxilase (25-OHase) que é responsável por converter a vitamina D para a sua forma ativa.

Osteoporose: acúmulo de alumínio prejudica a saúde óssea

Osteoporose significa “ossos porosos”. Infelizmente é uma doença silenciosa, que afeta sobretudo as mulheres e se desenvolve ao longo de anos.

Osso Saudável x Osso com osteoporoseO interior dos ossos saudáveis possuem pequenos espaçamentos. A condição da osteoporose faz aumentar esses espaços, assim o osso fica mais vulnerável, perdendo espessura (ossos mais finos) e perde força e densidade.

A osteoporose causa mais de 8,9 milhões de fraturas por ano em todo o mundo, resultando em fratura osteoporótica a cada 3 segundos, de acordo com a Federação Internacional da Osteoporose (IOF).

Fratura osteoporótica

SilanoX® - Redução do alumínio e aumento da Densidade Mineral Óssea (DMO)

O silício é essencial na redução dos níveis de alumínio, um metal pesado que se acumula no tecido ósseo acarretando problemas durante o processo de mineralização e podendo levar ao surgimento de diversas doenças. O alumínio tem ação direta na redução da conversão da vitamina D3 para a sua forma ativa.

A suplementação deste mineral desempenha um papel fundamental na biologia óssea, melhorando sua regeneração e aumentando a densidade mineral. As anormalidades ósseas estão associadas à redução dos componentes da matriz, e a suplementação de silício tem papel positivo na formação de colágeno e glicosaminoglicano. Estudos demonstram que a suplementação de silício é mais eficaz na melhora da DMO do que o etidronato (um bifosfonato) e o fluoreto de sódio.

“Silício é eficaz no fortalecimento dos ossos.”

Um estudo clínico conduzido por Jugdaohsingh et al, avaliou o papel do silício na dieta. Foram avaliados 2847 pacientes. Os resultados mostraram uma associação positiva entre a dieta com silício e o aumento na densidade óssea. Esse aumento foi encontrado em homens e mulheres na pré-menopausa.

“Déficit de silício piora a aparência da pele, mas o efeito pode ser revertido por suplementação.”

Um estudo publicado pela revista Nature avaliou o déficit de silício em ratos. Os resultados mostraram que o déficit de silício causa uma redução da taxa de crescimento em ratos, acrescido de anomalias no esqueleto e nos tecidos conjuntivos desses animais. O quadro foi revertido após suplementação com o silício. Sendo assim, o silício demonstrou ser um oligoelemento essencial para o processo de crescimento e para a sustentação do tecido conjuntivo.

Mecanismos de Ação do Silanox®

Redução do Alumínio
Interação entre o alumínio e ácido ortosilícico, formando complexos
insolúveis que impossibilita a absorção e favorecem a eliminação do metal.
Melhora a Densidade Mineral Óssea
Estimulação dos osteoblastos e osteoblastos-like para secretar colágeno tipo I
e outros marcadores envolvidos na maturação de células ósseas e na formação óssea.

Silanox

Associações com o Silanox (deixe seu tratamento mais completo):

Saúde da Tireóide
Saúde da Tireóide
Combo Tratamento Osteoporose: Suplementação com as
principais vitaminas e mineirais necessários para a saúde óssea,
além do colágeo - fundamental para a formação óssea.
O Coentro promove o detox de metais pesados
como arsênico, cádmio, alumínio, chumbo e
mercúrio, que se alojam em nossos tecidos.

Pare de acumular alumínio no corpo, use o desodorante natural da Sempre Viva:

Desodorante Natural
O Desodorante Natural da Farmácia
Sempre Viva foi desenvolvido, contendo em
sua fórmula ingredientes naturais, sem
adição de alumínio, parabenos e álcool.

Composição:

Silanox® (complexação de monometilsilanetriol - MMST e goma acácia) 150mg

Posologia recomendada:

Durante os primeiros 15 dias: SilanoX® 150 mg 2x ao dia. 15 minutos antes do almoço e 15 minutos antes do jantar.

Nos dias subsequentes: SilanoX® 150 mg 1x ao dia.15 minutos antes do almoço.

Referências:

Exley C. (2017). Aluminum Should Now Be Considered a Primary Etiological Factor in Alzheimer's Disease. Journal of Alzheimer's disease reports, 1(1), 23–25. https://doi.org/10.3233/ADR-170010

Lyons-Weiler, J., McFarland, G., & La Joie, E. (2020). Impact of catch-up vaccination on aluminum exposure due to new laws and post social distancing. Journal of trace elements in medicine and biology : organ of the Society for Minerals and Trace Elements (GMS), 62, 126649. https://doi.org/10.1016/j.jtemb.2020.126649

Fenwick, G. R., Heaney, R. K., & Mullin, W. J. (1983). Glucosinolates and their breakdown products in food and food plants. Critical reviews in food science and nutrition, 18(2), 123–201. https://doi.org/10.1080/10408398209527361

Jugdaohsingh, R., Tucker, K. L., Qiao, N., Cupples, L. A., Kiel, D. P., & Powell, J. J. (2004). Dietary silicon intake is positively associated with bone mineral density in men and premenopausal women of the Framingham Offspring cohort. Journal of bone and mineral research : the official journal of the American Society for Bone and Mineral Research, 19(2), 297–307. https://doi.org/10.1359/JBMR.0301225

Schwarz, K., & Milne, D. B. (1972). Growth-promoting effects of silicon in rats. Nature, 239(5371), 333–334. https://doi.org/10.1038/239333a0

Pritchard, A., Robison, C., Nguyen, T., & Nielsen, B. D. (2020). Silicon supplementation affects mineral metabolism but not bone density or strength in male broilers. PloS one, 15(12), e0243007. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0243007

Eisinger, J., & Clairet, D. (1993). Effects of silicon, fluoride, etidronate and magnesium on bone mineral density: a retrospective study. Magnesium research, 6(3), 247–249.

Ferreira, A.O.; Freire, É.S.; Polonini, H.C.; Da Silva, P.J.L.C.; Brandão, M.A.F.; Raposo, N.R.B. Anti-Aging Effects of Monomethylsilanetriol and Maltodextrin-Stabilized Orthosilicic Acid on Nails, Skin and Hair. Cosmetics 2018, 5, 41. https://doi.org/10.3390/cosmetics5030041

Götz, W., Tobiasch, E., Witzleben, S., & Schulze, M. (2019). Effects of Silicon Compounds on Biomineralization, Osteogenesis, and Hard Tissue Formation. Pharmaceutics, 11(3), 117. https://doi.org/10.3390/pharmaceutics11030117

Igbokwe, I. O., Igwenagu, E., & Igbokwe, N. A. (2019). Aluminium toxicosis: a review of toxic actions and effects. Interdisciplinary toxicology, 12(2), 45–70. https://doi.org/10.2478/intox-2019-0007

Orihuela D. (2011). Aluminium effects on thyroid gland function: iodide uptake, hormone biosynthesis and secretion. Journal of inorganic biochemistry, 105(11), 1464–1468. https://doi.org/10.1016/j.jinorgbio.2011.08.004

WHO Aluminium in Drinking-water Background document for development of WHO Guidelines for Drinking-water Quality (2010) disponível em: http://www.who.int/water_sanitation_health/water-quality/guidelines/chemicals/aluminium.pdf?ua=1

Advertências:

1. Nunca compre medicamentos sem orientação de um profissional habilitado.
2. Imagens meramente ilustrativas.
3. Pessoas com hipersensibilidade à(às) substância(s) não devem ingerir o produto.
4. Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico.
5. Não use o medicamento coma o prazo de validade vencido.
6. Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.
6.1. Manter em geladeira caso esteja indicado no rótulo.
7. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
8. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.
9. Este medicamento não deve ser utilizado durante o período de amamentação sem orientação médica.
10. Medicamentos em cápsulas não podem ser partidos ou mastigados.
11. Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hipoglicêmicos sem orientação médica.
12. Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hipertensos sem orientação médica.
13. "SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, UM MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO".


Venda mediante prescrição do profissional habilitado.
"Não se trata de propaganda e sim descrição do produto, consulte sempre um especialista".
* A Farmácia Sempre Viva é uma farmácia de manipulação, logo, os produtos anunciados neste site serão produzidos sob encomenda e serão postados na transportadora em até 5 dias úteis após a confirmação do pagamento.
"O estabelecimento farmacêutico deve assegurar ao usuário o direito o direito à informação e orientação quanto ao uso dos medicamentos solicitados por acesso remoto" RDC 44 de 17 de agosto de 2009, Artigo 58.


Caso tenha alguma dúvida, converse com a farmacêutica!

As informações contidas neste site não devem ser usadas para automedicação e não substituem em hipótese alguma a medicação prescrita pelo profissional da área médica. Somente o médico está em condições a diagnosticar qualquer problema de saúde e prescrever o tratamento adequado. Evite a automedicação: Informe-se com o farmacêutico. Maiores esclarecimentos,consultar o site: www.anvisa.gov.br. Medicamentos controlados somente com apresentação da receita na loja física. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS,O MÉDICODEVERÁ SER CONSULTADO. EVITE AUTOMEDICAÇÃO. NÃO SE TRATA DEPROPAGANDA, E SIM DE DESCRIÇÃO DO PRODUTO, CONSULTE SEMPRE UM ESPECIALISTA. Em caso de dúvidas, fale com o nossa farmacêutica ou faça-nos uma visita. Consulte nossas opções de Frete Grátis para todo o Brasil.